Torne-se fã

Compreender a hiperpigmentação

A hiperpigmentação manifesta-se pelo aparecimento de manchas castanhas mais ou menos numerosas e extensas, localizadas normalmente em zonas do corpo expostas ao sol: rosto, peito, costas, etc. Muitas vezes consideradas desagradáveis, estas manchas podem ter diversas origens.

Editado em 02/04/2012

O que é a hiperpigentação?


A pigmentação é um mecanismo de defesa da pele face ao sol : em resposta à exposição aos UV, células específicas da epiderme denominadas melanócitos produzem um pigmento castanho, a melanina, que proporciona uma cor uniforme à pele.
Mas acontece que por vezes esta coloração torna-se anárquica : produzida em excesso em determinadas zonas, a melanina acumula-se e a pele fica localmente com um tom mais escuro. Falamos de uma hiperpigmentação : as manchas castanhas mais ou menos grandes formam-se contrastando com a pele à volta. Estas manchas são benignas e indolores, mas são consideradas inestéticas

 

Os diferentes tipos de hiperpigmentação


Múltiplas causas podem estar na origem do aparecimento de manchas castanhas : uma exposição excessiva ao sol, a idade, as modificações hormonais, a predisposição genética, ou ainda traumatismos cutâneos. De acordo com o factor que as origina, a hiperpigmentação adquire diferentes formas :
 
  • As sardas : normalmente observadas nos sujeitos de cabelos loiros ou ruivos, com olhos e pele claros, as sardas ou efélides são pequenas manchas castanhas que escurecem e multiplicam-se com o sol. Estas sedutoras manchas, mas nem sempre bem vistas são de origem genética. Aparecem durante a infância, acentuam-se com a puberdade antes de regredirem por volta dos trinta anos. 
     
  • O melasma : relacionado com as modificações hormonais e agravado pela exposição ao sol, o melasma traduz-se pelo aparecimento de zonas castanhas repartidas de forma simetria na testa, no nariz e nas bochechas. Afecta principalmente sujeitos de pele morena. O melasma é particularmente comum nas mulheres grávidas: denominando-se por “pano da gravidez” ou “cloasma”, e desaparece habitualmente alguns meses após o parto. Pode também formar-se devido à toma de contraceptivos orais, ou associado a doenças hormonais.
     
  • Os lentigos : pequenas manchas castanhas redondas ou ovais, os lentigos podem estar relacionadas com a idade (lentigos senis ou manchas da idade) ou a uma exposição solar excessiva (lentigos solares ou actínicos). São a prova da incapacidade da epiderme em gerir os efeitos nefastos dos UV. Os sujeitos de pele clara, mais vulneráveis ao sol são os mais afectados pelos lentigos.
     
  • As hiperpigmentações pós-inflamatórias : após um traumatismo (corte, queimadura), uma infecção, uma reacção cutânea a um medicamento ou ainda problemas cutâneos comuns como o eczema, ou a acne, a pele pode ficar mais escura. Este tipo de hiperpigmentação observa-se principalmente nas peles mais morenas ou escuras, mais ricas em melanina.

Todos os tipos de manchas castanhas acentuam-se com a exposição solar sem protecção.


Tratar a hiperpigmentação


A hiperpigmentação da pele não apresenta nenhum tipo de perigo. No entanto, várias pessoas desejam atenuar ou fazer desaparecer as manchas castanhas por motivos estéticos. Existem actualmente diferentes tratamentos bastante eficazes : cremes despigmentantes, crioterapia com azoto líquido, laser, luz pulsada, peeling, etc. Consulte o seu dermatologista : ele irá determinar qual o método adequado à sua pele. Em todas as situações, os tratamentos necessitam de uma rigorosa protecção solar ao longo do tratamento, mas igualmente depois: o risco de reincidência é considerável em caso de exposição aos raios UV.

A nossa filosofia

Saiba mais

Os nossos compromissos

Saiba mais

A nossa filosofia

Saiba mais